domingo, 1 de março de 2015

Movimentos sociais horizontais - Não ao oportunismo barato

     O oportunismo como habilidade para aproveitar oportunidades não é algo contestável, a não ser que tal habilidade venha acompanhada de prejuízos causados a outrem, conscientemente e injustamente, pois neste caso, ele nada mais é do que oportunismo barato.

     Aqui, a discussão deste fato se deve a necessidade de abordar a ocorrência de tal oportunismo, o barato, que visa tirar proveitos dos movimentos sociais horizontais. É importante salientar que esta ocorrência é mundial e atemporal.

     Há diversos motivos, "pouco nobres", de aproximação de oportunistas baratos a movimentos sociais horizontais. Ora, se o movimento é horizontal é porque este prima pela não valorização de destaques individuais ou de apenas de alguns coletivos e, como consequência, tem objetivos a alcançar nessa linha de pensamento e de conduta. O pensamento e a prática da horizontalidade ainda são pouco difundidos em nossa sociedade, embora, há quem lute e houve quem lutou incansavelmente por eles. A horizontalidade, princípio aceito por aqueles que acreditam ser ele plausível para a construção de uma sociedade mais justa, necessita ser desenvolvida e difundida na sociedade e, para que isto ocorra, torna-se necessário por em prática ações baseadas nela. Logo, os movimentos sociais horizontais precisam ter espaço próprio para desenvolvimento e para caminhar com as próprias pernas.

     Os movimentos verticais (hierárquicos) - passíveis de críticas pelos resultados obtidos e por suas características - têm o espaço deles em nossa sociedade. A presença de tais movimentos, em dado momento, abafa o clamor popular, pois na verticalidade há os capacitados (os "escolhidos") e os demais. Nestes movimentos, uns poucos guiam (os "escolhidos") e outros são guiados. Desta forma, dão importância aos destaques e desconsideram o valor da complementaridade nas relações humanas. É neste momento que os clamores populares são desconsiderados, embora, tais clamores sejam "considerados" nos momentos de recrutamento para compor o movimento. Podemos dizer que é o caso do botão ON/OFF de consideração de clamor popular.

     Pelo que foi citado anteriormente, não vejo como algo positivo para o desenvolvimento da horizontalidade a associação com estruturas verticalizadas. Até porque, estas últimas têm o seu espaço e há muito tempo têm as oportunidades para mostrar a que vieram.

     Para finalizar, serão citados três casos gerais, não louváveis, de aproximação oportunista aos movimentos sociais horizontais:

- Aproximação de partidos políticos para ganhar dividendos políticos (o começo da relação é belo, o fim é triste após os interesses partidários serem alcançados);

- Aproximação de pessoas com fins pessoais eleitoreiros (partidários, sindicalistas, ...);

- Aproximação de pessoas que buscam destaques pessoais, mesmo nos movimentos horizontais (é o ego).

     Numa sociedade em que cada um age para o bem comum, no fim das contas, todos agem por todos e todos agem por cada um da sociedade.


É importante a leitura de:

Movimentos populares horizontais

Horizontalidade e verticalidade


Veja o que foi publicado em InterAção Popular Autônoma:

Sobre (informações sobre o site)

Liberdade - Primeira apresentação

Interações organizativas libertárias

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Seguidores

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO